Patrocínio:



 

VULTOS DA MAGISTRATURA MINEIRA NA HISTÓRIA DE POUSO ALTO

DR. ALBERTO DEODATO MARIA BARRETO
Dr. Alberto Deodato nasceu em 1896, em Maroim, Estado de Sergipe. Formou-se em Direito, na Faculdade de Ciências Jurídicas e sociais do Rio de Janeiro em 1919. Promotor de Justiça em Pouso Alto e Rio Pardo de Minas Gerais. Vereador em Belo Horizonte. Deputado estadual e federal por nosso Estado, pelo UDN do qual foi presidente, no Estado, substituindo Virgílio de Melo Franco. Professor de Direito Internacional Público e catedrático atual de Ciências das Finanças, na Faculdade de direito da Universidade de Minas Gerais. Publicou "Senzalas"; "Canaviais" e a "Doce Filha do Juiz", contos os dois primeiros e romance o último. "Canaviais foi primeiro prêmio da Academia Brasileira de Letras, em 1921 e o romance menção honrosa da mesma Academia, em 1928. Colaborou em quase todos os jornais de Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro e, quando foi promotor em Pouso Alto, colaborou no "O Jornal de São Lourenço", dirigido na época pelo Comendador Oscar Fagundes.
Dr. Alberto Deodato é um político ardoroso. Suas crônicas na "Tribuna da Imprensa e no "Maquis" do Rio de Janeiro, vazadas nu estilo ameno, são como aguilhões no lombo dos vendilhões da Política, ferem devagarinho, com os exemplos cotidianos, fatos extraídos da própria vida, que fazem do político e escritor ilustre, uma pena incomparável e temida.
Sua passagem pela Comarca de Pouso Alto ficou assinalada de modo indelével, gravada na memória dos homens que o conheceram, no início de sua vitoriosa carreira, como o promotor público que achava a doce filha do juiz digna de um romance.

JUIZ LUIZ SILVÉRIO DA ROCH LAGOA
Na cidade de Ouro Preto, em 25 de agosto de 1900, nascia Luiz Silvério da Rocha Lagoa, sendo filho de Francisco de Paulo Rocha Lagoa e D. Amélia Amaral Rocha Lagoa. Fez seus estudos no Colégio Militar de Barbacena e no Externato do Ginásio Mineiro da mesma cidade, de 1913 a 1918.
Formou-se em Direito aos 23 de dezembro de 1923 pela Faculdade de direito de Belo Horizonte, passando, então a exercer cargos do Judiciário Estadual.
Assim foi Promotor de Justiças da Comarca de Pouso Alto, de 1924 a 1925, de Machado, em 1926 e de Manhuassu de 1929 a 1939. Exerceu as funções de Juiz Municipal da Cidade de Manhuassu em 1928. Foi nomeado professor das cadeiras de português e francês da Escola Normal Oficial de Curvelo em 1928, não tendo porém aceito a nomeação.
Lá publicou os seguintes trabalhos Topologia Promocional e Aplicação de Direito. Foi agraciado com medalhas Marechal Hernies e Marechal Caetano de Faria.
Foi Juiz de Direito das Comarcas de São Francisco de janeiro a julho de 1939 e de Boa Esperança, de dezembro de 1939 a outubro de 1940. Foi presidente da subseção da Ordem dos advogados do Brasil, com sede em Manhuassu, de 1931 a 1939.
Dr. Luiz Silvério iniciou sua carreira como promotor público de justiça em 1924, sucedendo o Dr. Alberto Deodato. Foi substituído pelo poeta e escritor Dr. Rui Ribeiro Couto. A Justiça da Comarca era presidida pelo grande e integro Juiz Dr. André Martins de Andrade. Funcionava como Juiz Municipal o Dr. Leonino Teixeira e as funções de escrivão do primeiro ofício eram exercidas pelo jornalista Mário Netto , e no segundo ofício, Sr. Marcos Grilo e do crime o Sr. José Magalhães. Entre estes destacamos também as figuras de: Des. André Martins de Andrade, Dr. Geraldo Henrique Cruz , Dr. Rui Ribeiro Couto e tantos outros que deixaram seus nomes incólumes e foram julgados através da história como JUIZES DE TOGA IMACULADA



Todo o conteúdo deste site é de livre utilização, tenha a gentileza de citá-lo como fonte de pesquisa.
Obrigada pela visita !!!

 

Desenvolvido por: Joseane Guimarães